Viagem Única

Roteiros de Viagem Personalizados


Deixe um comentário

Pititinga – RN

Sim, Pititinga! Você provavelmente nunca ouviu falar desse lugar, e é isso que o torna ainda melhor!

Pititinga é uma tímida cidade do Rio Grande do Norte, com aproximadamente 1.000 habitantes que fica a 80km da capital Natal.

Lá só se houve o barulho das ondas quebrando a beira-mar. É o local ideal pra quem quer tirar a cabeça fora do ar, se desligar de tudo e curtir o que os italianos são muito felizes em definir como “dolce far niente“, o prazer de fazer nada!

A praia é linda, a água quente, a areia branquinha, repleta de coqueiros na orla e o silêncio… ah o silêncio…ele é uma benção pra quem vive na confusão das grandes cidades.

Este lugar proporciona o tipo de experiência que você deve se permitir pelo menos uma vez na vida: ficar em silêncio, não ouvir nada além de seus próprios pensamentos e o barulho do mar. Cultivar seu bem mais precioso: a paz interior!

O povo é tão hospitaleiro e acolhedor quanto a cidade em si!

Vista do restaurante

Vista do restaurante

Tive a oportunidade de conhecer o senhor José Alves que é dono do restaurante e pousada Vapor Velho.  Além de nos receber com um largo sorriso e um camarão no coco que é dos deuses, nos emprestou uma rede para a cesta após o almoço! Muito gente boa! Como ele mesmo diz com frequência: “Você é muito gente boa!”

A pousada é uma delícia e retrata bem o espírito da cidade, simples e aconchegante!

Nem preciso dizer que super recomendo!

Deixo a seguir os contatos da pousada e restaurante para quem quiser se aventurar.

Um abraço,

Mayara

José Alves – Pousada e Restaurante Vapor Velho

Email: pousadavaporvelho@hotmail.com

Tel: (84) 3261-4332

www.pousadavaporvelho.blogspot.com


3 Comentários

Noronha. Fernando de Noronha.

É um lugar especial, sem sombras de dúvidas. Só o pouso já é de arrepiar. O avião dá uma volta na ilha e assim conseguimos olhar as praias paradísicas que ali estão. O aeroporto é um tanto quanto rudimentar. Não há voos noturnos nem com neblina devido a falta de equipamentos. Mas vale a pena, vale muito a pena!

Imagem

Lá tudo é caro. Não adianta. Fomos em 2011, e uma garrafa de água mineral de 500ml era R$ 5,00. Ou seja, vá com uma boa reserva de grana. Para hospedagem, ficamos numas das “pousadas” domiciliares. São moradores que alugam quartos para os turistas. Pousadas mais estruturadas são muito caras! As domiciliares dão pro gasto. Geralmente oferecem café da manhã e algumas possuem piscina.

Um dos passeios mais legais que fizemos foi o Prancha Vip. Contratamos este passeio com a empresa Atalaia Receptivo Noronha. No Prancha Vip, pegamos um barco no cais, que nos leva até uma parte do mar onde está naufragado um navio. Chegando lá, caímos na água com as pranchas e snorkel e o barco fica nos puxando, enquanto observamos o fundo do mar. Podemos fazer manobras dentro d’água. É muito divertido. Enxergamos tubarões, peixes coloridos, além do navio naufragado. Depois, eles ainda oferecem um “churrasco” no próprio barco. Para aqueles que sentem enjoos (como eu) aconselho a levar um Dramin.

Imagem

Outro passeio que é DEMAIS é o Ilha Tour. Pegamos um 4×4 e percorremos os principais pontos da ilha, com paradas para banho nas principais praias. Para este passeio, alugamos uma câmera aquática e tiramos diversas fotos em baixo da água. As melhores praias são:

– Baia do Sueste (é necessário alugar pé de pato e snorkel – tem na beira da praia – pois o local é de preservação ambiental devido a reprodução das tartarugas);

– Praia do Sancho (cuidado! a descida para praia é através de uma escada de bombeiros entre as rochas. O espaço é bem estreito. Não recomendado para quem tem fobia);

Imagem

– Baía dos Porcos (melhor banho de mar do mundo, com piscinas naturais e tudo. Só pode ir com guia);

Imagem

– Cacimba do Padre (praia de surf, mas tem uma linda paisagem).

Imagem

Claro que entre a Baía dos Porcos e a Cacimba do Padre há a vista mais conhecida de Noronha:

Imagem

Infelizmente, como ficamos apenas 4 dias, não fomos para Atalaia (dizem que é lindo) e nem fizemos mergulho. Mas com certeza é um lugar que eu voltarei!

Um abraço,

Lari!